Podemos ajudar?

Retrospectiva 2020: Exposições em galerias que chamaram atenção em 2020

O fatídico ano de 2020 chegou ao fim, e já começamos 2021. Falamos anteriormente sobre os destaques da arte contemporânea em instituições e em feiras, agora para fechar este ciclo, falaremos exclusivamente das mostras que se destacaram em galerias.

São elas: ‘Como habitar o presente?’, na Simone Cadinelli; Olho Grande, na Galeria Athena, Pedro França e Victor Gerhard, na galeria Jaqueline Martins e Escrito no Corpo’, na Fortes D’Aloia & Gabriel.
 

Escrito no Corpo’, na Fortes D’Aloia & Gabriel

A Fortes D’Aloia & Gabriel tem o prazer de apresentar Escrito no Corpo. A exposição coletiva com curadoria de Keyna Eleison e Victor Gorgulho propõe a costura entre produções de jovens e consagrados artistas, em diálogo com o acervo do Teatro Experimental do Negro (TEN), fundado e dirigido por Abdias Nascimento.

 

Retrospectiva 2020: Exposições em galerias que chamaram atenção em 2020
Abdias Nascimento
 

 

Olho Grande, na Galeria Athena

A Galeria Athena apresentou Olho Grande, a primeira mostra individual de Rafael Alonso no local. Ocupando toda a Sala Cubo, a exposição contou com um conjunto de pinturas, instalações, itens de trabalho e objetos pessoais de Alonso que fazem parte do seu ateliê no Rio de Janeiro e foram transportados para dentro da Galeria.

Ao propor tal deslocamento, a intenção do artista foi mudar e moldar o ambiente expositivo para um lugar ativo ao longo do período da exposição. Ou seja, a cada momento a mostra se tornou outra na medida em que novos trabalhos e novas ações vão sendo desenvolvidos.

 

Retrospectiva 2020: Exposições em galerias que chamaram atenção em 2020

 

Pedro França e Victor Gerhard, na galeria Jaqueline Martins

A galeria Jaqueline Martins recebeu uma magnífica exposição virtual com obras de Pedro França e Victor Gerhard. Os dois dialogaram com o absurdo da sociedade contemporânea em um viewing room bastante imersivo.

“A nossa ideia era fazer esse andar bastante claro, com luz chapada e branca como nass farmácias. A grama, a parede dourada, o tubo de luz fluorescente na arara das roupas – tudo foi usado para construir esta atmosfera. E quando você vê o fogo num lugar claro assim significa que algo deu errado. É o oposto da imagem do fogo na penumbra que remete ao aquecer, ao iluminar , um lugar para reunir e contar história.  A fogueira aqui é uma espécie de escultura e traz a ideia de colapso! A exposição tem uma vibe fantasmagórica em diferentes planos, tanto nas imagens dos trabalhos quanto ao fato de ser uma mostra online que remete a uma galeria vazia”, contou Pedro França.

 

Retrospectiva 2020: Exposições em galerias que chamaram atenção em 2020
Pintura de Pedro França

 

Retrospectiva 2020: Exposições em galerias que chamaram atenção em 2020
Drama carioca, de Victor Gerhard

 

‘Como habitar o presente?’, na Simone Cadinelli

Talvez um dos principais destaques do ano tenha sido a coletiva ‘Como habitar o presente?’, na galeria Simone Cadinelli Arte Contemporânea. A exposição dividida em três atos reuniu diversos artistas e chamou bastante atenção.

O ato 1 foi ‘É tudo nevoeiro codificado’, o ato dois ‘Estamos aqui’ e a terceira parte ‘Antecipar o futuro’. Esta última ainda se encontra em cartaz.

A curadora Érika Nascimento comenta que, “após sete meses em que a galeria esteve fechada, esta exposição marca ao mesmo tempo este momento de reabertura e a finalização desta reflexão tríplice temporal, com obras de 21 artistas em diferentes suportes e linguagens, como fotografia, vídeo, instalação, pintura e objetos”.

Logo na entrada da exposição estará um letreiro luminoso da artista Leandra Espírito Santo com a frase “Eu só existo na terceira pessoa”. O final do percurso igualmente é sinalizado por outra frase: “Antes de cairmos, nos tornaremos o sol”, de Agrippina R. Manhattan. A curadora salienta que essas obras “abrem passagem para o questionamento sobre o nosso lugar de existência a partir de um ‘outro’, e também sobre o limiar para um abismo de nossa própria existência”

 

Retrospectiva 2020: Exposições em galerias que chamaram atenção em 2020
Simone Cadinelli Arte Contemporânea

 

Retrospectiva 2020: Exposições em galerias que chamaram atenção em 2020
Leandra Espírito Santo

 

Um dos destaques é “O Fantasma Chinês”, ocupação feita pelo artista Franklin Cassaro em sua vitrine voltada para a Rua Aníbal de Mendonça, em Ipanema. A instalação integra a exposição “Como habitar o presente? Ato 3 – Antecipar o futuro”, com curadoria de Érika Nascimento, e poderá ser vista até 16 de janeiro de 2021. Franklin Cassaro inaugura, com este trabalho, sua pesquisa sobre a China. A partir da ópera chinesa, suas cores e sonoridades, ele criou uma cena teatral no espaço de cinco metros quadrados da vitrine da galeria, usando símbolos como Velho Sábio, o dragão, porcelana, alfinetes perolados chineses e cédulas históricas de renmimbi (nome oficial da moeda da China, enquanto a palavra yuan, mais comum, é uma unidade de conta, o valor).

 

Retrospectiva 2020: Exposições em galerias que chamaram atenção em 2020
Franklin Cassaro – O Fantasma Chinês – Crédito Fernando Souza