Podemos ajudar?

Pinakotheke Cultural lança o livro e faz a exposição ‘Coleção Luiz Carlos Ritter’ com grandes nomes da arte brasileira e internacional

A Pinakotheke Cultural, em sua sede do Rio de Janeiro, irá lançar, no próximo dia 5 de setembro de 2022, o livro Coleção Luiz Carlos Ritter (Edições Pinakotheke), bilíngue (português/inglês), com 304 páginas, formato 23cm x 31cm, e textos de Nélida Piñon, Ana Cristina Reis, Vanda Klabin, Clelio Alves, Ricardo Linhares, e uma conversa entre Max Perlingeiro – que organizou e planejou o livro e a exposição – ,e o colecionador Luiz Carlos Ritter.

De uma família de cervejeiros gaúchos – que fundaram em meados do século 19 duas das mais importantes cervejarias do Rio Grande do Sul – Luiz Carlos Ritter, que mora no Rio de Janeiro desde a infância, iniciou em 1983 uma coleção que atualmente soma centenas de obras, de grandes nomes da arte brasileira e internacional, bastante abrangente, do século 17 ao 21.

Um dos maiores emprestadores de obras para exposições no Brasil e no exterior, Luiz Carlos Ritter agora torna público um conjunto expressivo de suas peças no livro editado pela Pinakotheke, com imagens e fichas técnicas de pinturas, desenhos, aquarelas e gravuras de grandes artistas, como Tarsila do Amaral, Emiliano Di Cavalcanti Candido Portinari, Alberto da Veiga Guignard, Alfredo Volpi, Candido Portinari, José Pancetti, além de nomes como Frans Post, Giorgio Morandi, Pierre-Auguste Renoir, e ainda de Lygia Clark e Hélio Oiticica.

 

Pinakotheke Cultural lança o livro e faz a exposição 'Coleção Luiz Carlos Ritter' com grandes nomes da arte brasileira e internacional
HÉLIO OITICICA (1937-1980) Metaesquema, 1958 – Crédito: Jaime Acioli

 

 

Pinakotheke Cultural lança o livro e faz a exposição 'Coleção Luiz Carlos Ritter' com grandes nomes da arte brasileira e internacional
LYGIA CLARK (1920-1988) Da série Bichos, 1960 _Crédito Nº 000900 Associação Cultural “O Mundo de Lygia Clark”

 

 

O livro traz textos de amigos próximos e conhecedores de sua coleção, que inclui um jardim de esculturas em uma propriedade da família em Guarapari, Espírito Santo, com grandes nomes da arte.

Para marcar o lançamento do livro, a Pinakotheke montou uma exposição com 60 obras da Coleção Luiz Carlos Ritter. Seguindo as paixões do colecionador, a mostra terá flores e naturezas mortas de Tarsila do Amaral, Emiliano Di Cavalcanti, Alberto da Veiga Guignard, Candido Portinari, José Pancetti, Maria Leontina, Milton Dacosta, Victor Meirelles; e paisagens de Frans Post, Eliseu Visconti, Nicolau Antônio Facchinetti, Giovanni Battista Castagneto, João Batista da Costa.

O modernismo, outro núcleo importante da Coleção Luiz Ritter, é representado no livro e na exposição por obras de Guignard, Volpi, Portinari, Di Cavalcanti, e Flávio de Carvalho.

Na categoria estrangeiros, estarão obras de Giorgio Morandi, Alfred Sisley, Joaquín Torres García e Pierre-Auguste Renoir. 

A Coleção Luiz Ritter também tem importantes obras de artistas contemporâneos, como Lygia Clark e Hélio Oiticica, que também integram o livro e a mostra.

 

Pinakotheke Cultural lança o livro e faz a exposição 'Coleção Luiz Carlos Ritter' com grandes nomes da arte brasileira e internacional
NICOLAU ANTÔNIO FACCHINETTI (1824-1900) Enseada da Glória, 1898 óleo tela 19,0 x 44,0 cm – Crédito: Jaime Acioli

 

 

Pinakotheke Cultural lança o livro e faz a exposição 'Coleção Luiz Carlos Ritter' com grandes nomes da arte brasileira e internacional
EMILIANO DI CAVALCANTI (1897- 1976) Vaso com flores, circa 1940 óleo – Crédito Jaime Acioli

 

 

GAUCHISMO

Um capítulo do livro é dedicado a artistas gaúchos, que também terão obras expostas na Pinakotheke: Iberê Camargo e Pedro Weingärtner.

 

EM MEIO À ARTE

Luiz Carlos Ritter cresceu em meio a obras de arte, graças a seus pais – a quem o livro é dedicado – que embora não fossem colecionadores tinham boas obras, adquiridas no pós-guerra. Pancetti, Guignard, o gaúcho Angelo Guido, e até mesmo uma escultura de Aleijadinho, exibido pela primeira vez na exposição “Imagens do Aleijadinho”, no Museu de Arte de São Paulo, em 2018, eram artistas com quem ele “conviveu”.

 

PRIMEIRO QUADRO

O primeiro quadro que marcou o futuro colecionador, e que o “acompanha até hoje”, é “Paisagem de Sete Lagoas”, do pintor mineiro Inimá de Paula. Passando em frente à Galeria Bonino, na Rua Barata Ribeiro, em Copacabana, em 1983, Luiz Carlos Ritter foi atraído pela montagem de uma exposição, e esta pintura estava sendo instalada na vitrine. Ele voltou à noite, para a abertura da exposição, e conversou muito com a proprietária da galeria, Giovana Bonino. Como o quadro era muito caro para ele à época, “ela me financiou”. “É curioso porque da primeira obra o colecionador nunca esquece, nos mínimos detalhes.

 

FLORES

A convivência com os avós paternos despertou no menino Luiz Carlos o interesse por flores.  Após dois anos de tratamento de tuberculose em um sanatório suíço, o avô paterno, na casa dos quarenta anos, comprou uma chácara afastada da capital, onde o neto, já morando com a família no Rio de Janeiro, passava boa parte de suas férias escolares. Fazia parte da rotina acompanhar o avô “diariamente em suas lides jardineiras”. “Vi meu avô plantando e cultivando muitas flores de clima temperado, algumas inexistentes no Rio de Janeiro, além de árvores frutíferas para a alegria dos passarinhos. Eu ficava dez dias grudado nele, autêntica referência. Isso aconteceu dos meus seis aos dez anos, quando ele faleceu. Depois continuei indo lá visitar a avó e conheci ainda mais flores e árvores floríferas e frutíferas. Lembro-me também de um fato curioso anterior. Quando bem menino, ainda em Porto Alegre, acho que entre meus três e quatro anos, adoeci gravemente e recebia a visita desses avós, que invariavelmente me traziam um pequeno vaso de amor-perfeito, que passou a ser minha flor favorita. Bem mais tarde, tive a alegria de poder adquirir um óleo de Guignard com ‘amores-perfeitos’”, conta Luiz Carlos Ritter.

 

Para Max Perlingeiro, a Coleção Luiz Carlos Ritter é como uma “coleção viva, em constante mutação”.

 

A Pinakotheke já editou livros sobre as coleções Roberto Marinho, Cultura Inglesa,

Aldo Franco, Airton Queiroz, Fundação Edson Queiroz, e ainda este ano publicará um livro dedicado à Coleção Igor Queiroz Barroso.

 

Livro Coleção Luiz Carlos Ritter – Ficha técnica

Bilíngue (português/inglês), 304 páginas, formato 23cm x 31cm

Edições Pinakotheke, 2022

Autores: Nélida Piñon, Ana Cristina Reis, Vanda Klabin, Clelio Alves, Ricardo Linhares, e uma conversa entre Max Perlingeiro e Luiz Carlos Ritter.

Organização e Planejamento: Max Perlingeiro

Publisher: Camila Perlingeiro

Preço: R$180

O livro estará disponível nas lojas da Livraria Travessa e Martins Fontes de todo o país, além da Amazon e das sedes da Pinakotheke, no Rio de Janeiro, São Paulo e Fortaleza (Multiarte).

 

Serviço: Lançamento do livro e exposição “Coleção Luiz Carlos Ritter”

Visitação pública: 5 de setembro a 24 de setembro de 2022

Pinakotheke Cultural, Rio de Janeiro

Rua São Clemente 300, Botafogo, 22260-004 – Rio de Janeiro, RJ

Entrada gratuita

Telefones: 21.2537.7566

E-mail: [email protected]

Segunda a sexta-feira, das 10h às 18h, e aos sábados, das 10h às 16h.