Podemos ajudar?

O balanço da Frieze Viewing Room: confira as principais vendas

Neste ano, a Frieze que estava acostumada a receber mais de 100 mil pessoas em Londres teve de se adaptar a um novo formato. A pandemia de coronavírus impossibilitou a feira física e ela teve de acontecer de forma virtual, e os resultados surpreendem.

Os usuários puderam acompanhar os mais de 250 estantes da Frieze London e Frieze Masters online, com uma plataforma bastante eficaz. Foi possível visualizar as obras aplicando diversos filtros, conversar com os revendedores e ‘curtir’ o trabalho para rever posteriormente.

Várias das galerias informaram ter feito vendas tão significativas quanto nos anos anteriores, contradizendo o receio de que a forma virtual seria de aceitação difícil.

Nadia Gerazouni, diretora da The Breeder, contou ao Artsy que no geral, a Frieze Viewing Room foi tão bem sucedida quanto sua versão física teria sido.

“O público nos últimos seis meses desde que as feiras se tornaram virtuais se adaptou rapidamente a essa nova realidade. Eles estão ficando cada vez mais confortáveis ​​em comprar online e também em descobrir novos artistas por meio dessas plataformas”, conta.

O único ponto em que a exposição virtual deixou a desejar, segundo os revendedores, é na interação com o público. No entanto, esta edição especial parece ter sido uma divisora de águas para uma nova maneira de fazer feiras.

“Esta edição online da Frieze pareceu marcar o progresso relativo que nossa indústria fez na adaptação aos formatos online e o fato de que os colecionadores estão se tornando mais acostumados a navegar em feiras virtuais”, disse Almine Rech, dono da galeria homônima.

Além de centenas de vendas ‘menores’, houve também as de valor milionário. Foram várias e várias aquisições, confira as principais:

 

  • A Hauser & Wirth fez U$ 10 milhões em vendas apenas no primeiro dia da prévia VIP, contando o novo Mark Bradford, Q7 (2020), vendida por U$ 3,5 milhões. Além disso, houve um comprador que pagou U$ 2,5 milhões no Russian Speedway (1971), de Jack Whitten. A galeria também vendeu uma pintura de George Condo por U$ 1,85 milhão, uma de Rashid Johnson por $ 850.000, uma de Günther Förg de 1989 por € 350.000 ($ 414.000), e uma tela de Rita Ackermann por $ 350.000

 

O balanço da Frieze Viewing Room: confira as principais vendas
Jack Whitten, Russian Speedway , 1971. © Jack Whitten Estate. Foto de Jeff McLane. Cortesia de Jack Whitten Estate e Hauser & Wirth.

 

  • O retrato duplo de Alex Katz, Vincent e Vivien (2016), foi vendido por U$ 650 mil pela Galerie Thaddaeus Ropac. Assim como o Imi Knoebel, Prinz Igor em C (2005), vendido por U$ 225 mil.

 

O balanço da Frieze Viewing Room: confira as principais vendas
Alex Katz, Vincent e Vivien , 2016. © Alex Katz. Cortesia da Galerie Thaddaeus Ropac, Londres / Paris / Salzburg.

 

  • A africana Galeria Goodman vendeu a escultura de 40 peças em bronze Cursive (2020), de William Kentridge por U$ 600 mil.

 

O balanço da Frieze Viewing Room: confira as principais vendas
William Kentridge
Cursivo , 2020
Goodman Gallery

 

  • Por sua vez, a Xavier Hufkens vendeu uma pintura de Tracey Emin por U$ 420 mil, além de Thomas Houseago por U$ 350.

 

  • A obra Conjunção 20-53 (2020), de Ha Chong-hyun foi vendida pela galeria pelo valor de U$ 130 mil.
O balanço da Frieze Viewing Room: confira as principais vendas
Ha Chong-Hyun
Conjunção 20-53 , 2020
Galeria Tina Kim