Podemos ajudar?

Masp apresenta trabalho de Regina Vater, uma das pioneiras do vídeo no Brasil

Até 15 de agosto, o MASP apresenta a ‘Sala de Vídeo: Regina Vater’. Nela, a instalação Conselhos de uma lagarta (1976), de Regina Vater, uma das pioneiras da videoarte no Brasil, será remontada.

Neste trabalho, um dos mais icônicos da artista, Vater intercala sua imagem, filmada durante meses no mesmo ponto de sua casa, com trechos do livro ‘Alice no país das maravilhas’ em que a protagonista e a lagarta conversam sobre a passagem do tempo e as transformações do corpo. “A instalação se conecta especialmente a este contexto particular de mais de um ano de vida pandêmica, em que nos comunicamos e nos vemos regularmente por meio de chamadas em vídeo, colocando duas telas para dialogar frente a frente no espaço expositivo”, comenta Giufrida, curador da mostra.

Nas passagens sobre o clássico de Lewis Carroll, Alice e a Lagarta discutem sobre a dificuldade de expressar em palavras o pavor da passagem do tempo e das transformações do corpo. Na segunda tela, do lado oposto, vemos uma sequência silenciosa de closes de olhares de várias pessoas, como a artista Lygia Clark e o poeta Wally Salomão.

 

Masp apresenta trabalho de Regina Vater, uma das pioneiras do vídeo no Brasil
Obra da artista Regina Vater. Conselhos de uma lagarta, 1976, stills (Foto: Divulgação / MASP )

 

 

Masp apresenta trabalho de Regina Vater, uma das pioneiras do vídeo no Brasil
Regina Vater

 

 

A obra foi criada a partir da frase de Clark “Teu olho é meu espelho”, isto é, nas palavras de Vater: “Eu sou o que você me permite ser, pelo jeito com que você me vê”.

A artista cria assim uma reflexão por meio de retratos e autorretratos, sobre o modo pelo qual nossa imagem é construída num jogo complexo de percepção e espelhamento através do outro — seja o outro personagem do vídeo, seja o espectador do vídeo como outro. Não por acaso, são duas projeções olhando-se na instalação, algo que se conecta também a este momento particular em que nos comunicamos (e nos vemos) regularmente no computador ou no celular por meio de chamadas em vídeo.

Ademais, são mostrados os dois vídeos da série ART (1978), Vídeo ART e ARTropophagy, um dos marcos da arte conceitual brasileira. A curadoria é de Guilherme Giufrida, curador-assistente, MASP. Ao longo de 2021 e de 2022, a programação da sala de vídeo integra o ciclo das Histórias brasileiras no MASP, e este ano inclui trabalhos de Ana Pi, Teto Preto, Regina Vater, Zahy Guajajara e Dominique Gonzalez-Foerster.

 

Serviço:

Sala de Vídeo: Regina Vater
Visitação: até 15 de agosto de 2021.
Horários:
Terça Grátis QUALICORP: das 10h às 18h.
Quarta Grátis B3 (durante o mês de julho): das10h às18h.
Quinta – Sexta: das 12h às 18h.
Sábado – Domingo: das 10h às 18h.
Segunda: fechado.