Podemos ajudar?

MAM-Rio em parceria com o MASP inaugura a exposição Hélio Oiticica: a dança na minha experiência

O experimental e inovador Hélio Oiticica (1937-1980) é homenageado na nova exposição do MAM-Rio intitulada ‘a dança na minha experiência’, que explora a relação do artista com a dança, música e a cultura popular brasileira.

A mostra é uma parceria do MAM Rio com o MASP, curada por Adriano Pedrosa e Tomás Toledo, do museu paulista. Ela ficará em exibição de 12 de dezembro até 7 de março.

“Meu interesse pela dança, pelo ritmo, no meu caso particular pelo samba, me veio de uma necessidade vital de desintelectualização, de desinibição intelectual, da necessidade de uma livre expressão”, escreveu Oiticica no texto de 1965 que intitula a exposição.

A mostra possui diversos setores, cada um explorando uma série do artista. ‘Metaesquemas’ mostra ilustrações em guache que abordam a relação de Oiticica com o concretismo; ‘Relevos espaciais’ exibem dobraduras expandidas; ‘Núcleos’ é sobre esculturas grandes e interativas; as instalações manipuláveis são mostradas em ‘Penetráveis’, além de ‘Bólides’, onde o artista faz experimentações.

Entretanto, talvez o principal destaque seja ‘Parangolé’, que aborda a íntima relação do artista com o samba e com a Estação Primeira de Mangueira. Segundo o próprio Oiticica, os Parangolés são anti-obras de arte.

“Em 1964, Oiticica passou a frequentar a Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira, no Rio de Janeiro, da qual se tornou passista. Essa experiência constituiu um divisor de águas na vida e na obra do artista, que aprofundou suas reflexões sobre experiências estéticas para além das belas-artes, incorporando elementos corporais e sensoriais, populares e vernaculares a seu trabalho por meio da dança, da coreografia, da música, do ritmo e do corpo”, diz o texto curatorial.

A exposição também terá o filme ‘Heliorama’, de Ivan Cardoso.

MAM-Rio em parceria com o MASP inaugura a exposição Hélio Oiticica: a dança na minha experiência
Hélio Oiticica manipulando o trabalho B 11 Bólide caixa 9 (1964). Foto Claudio Oiticica
MAM-Rio em parceria com o MASP inaugura a exposição Hélio Oiticica: a dança na minha experiência
Metaesquema (1957), de Hélio Oiticica, guache sobre cartão, 45,5 x 54 cm Coleção César e Claudio Oiticica. Foto Jaime Acioli
MAM-Rio em parceria com o MASP inaugura a exposição Hélio Oiticica: a dança na minha experiência
Sêco 03 (1956), de Hélio Oiticica, guache sobre cartão, Coleção Ricardo Rego
MAM-Rio em parceria com o MASP inaugura a exposição Hélio Oiticica: a dança na minha experiência
Nildo da Mangueira vestindo P 15 Parangolé capa 11 – Incorporo a revolta (1967), de Hélio Oiticica. Foto Claudio Oiticica, circa 1968
MAM-Rio em parceria com o MASP inaugura a exposição Hélio Oiticica: a dança na minha experiência
Nininha da Mangueira vestindo P 25 Parangolé capa 21 Xoxoba (1968), de Hélio Oiticica, durante as filmagens de “H.O.”, de Ivan Cardoso, 1979. Foto Andreas Valentim

Serviço

Hélio Oiticica: a dança na minha experiência

  • Artista: Hélio Oiticica
  • Curadoria: Adriano Pedrosa e Tomás Toleto
  • Exposição: De 12 de dezembro a 7 de março
  • Local: MAM RIO
  • Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85 – Aterro do Flamengo – Rio de Janeiro
  • Telefone: (21) 3883-5600
  • Site: www.mam.rio
  • Instagram: @mam.rio