Podemos ajudar?

Ladrões roubam coleção de NFTs avaliada em U$ 2,2 milhões de galerista em Nova York

Na virada do ano, mais precisamente em 30 de dezembro, ladrões furtaram a coleção de NFTs de Todd Kramer, dono da galeria  Ross + Kramer em Nova York. A coleção, que inclui quatro obras do Bored Ape Yacht Club está avaliada em U$ 2,2 milhões. O galerista foi enganado em um esquema de phishing (roubo de senhas e dados pessoais), no entanto, aparentemente acabou conseguindo recuperar suas obras.

Kramer havia publicado um tweet com os dizeres “Eu fui hackeado. Todos os meus macacos se foram. Acabaram de vender, por favor me ajude”, porém muitos usuários do Twitter zombaram do colecionador por “apostar em um sistema desregulado e descentralizado”. 

Entretanto, os compradores e o marketplace OpenSea estão ajudando o galerista a recuperar suas obras roubadas. “Atualizando… Todos os macacos estão congelados… Aguardando a abertura de uma equipe para entrar… lições aprendidas. Use uma cold wallet…”, postou no Twitter.

 

 

Ladrões roubam coleção de NFTs avaliada em U$ 2,2 milhões de galerista em Nova York
Bored Ape Yacht Club, # 9410, 2021

 

 

Ladrões roubam coleção de NFTs avaliada em U$ 2,2 milhões de galerista em Nova York

 

 

Para proteger seus NFTs, muitos usuários experientes usam a chamada ‘cold wallet’, um local físico para guardar seus ativos que só acessa a internet quando conectada e ligada. Kramer usava a chamada ‘hot wallet’, que está constantemente ligada à internet e consequentemente, mais vulnerável. O congelamento dos NFTs está causando muita polêmica, pois segundo os usuários, o congelamento é um ‘ataque contra a descentralização’, uma das principais raízes do mercado de criptomoedas.

O desfecho conclusivo dessa história ainda não foi divulgado, já que nem Kramer e nem a OpenSea se pronunciaram.