Podemos ajudar?

Instalação ‘Touch’, de Regina Silveira, ocupa Galeria Hugo França, em Trancoso

A recém-inaugurada galeria Hugo França, em Trancoso, será palco da Instalação ‘Touch’, de Regina Silveira, uma das artistas brasileiras de maior presença no circuito internacional, sendo exibida entre 11 de dezembro até 13 de março de 2022, marcando a estreia da Galeria como vitrine para artistas do Brasil e do mundo.

A instalação site specific, que traz marcas de mãos agigantadas e recortadas em vinil ocupando mais de 200 metros quadrados da galeria, tem o objetivo de aguçar a percepção do espaço, fazendo as pessoas se questionarem sobre o que está fora de escala: as imagens ou os espectadores.

A emblemática obra, que já passou por São Paulo, Argentina, Alemanha, Curitiba, Rio de Janeiro (Complexo da Maré) e Porto Alegre, chega, pela primeira vez, à Bahia por meio de uma parceria das galerias Bolsa de Arte e Luciana Brito, que representam a artista desde o início de suas atividades, e de Hugo França, que inaugurou a galeria não apenas para suas criações, mas também para propor um diálogo com obras de outros artistas, inserindo Trancoso no circuito da arte nacional e internacional.

 

Instalação 'Touch', de Regina Silveira, ocupa Galeria Hugo França, em Trancoso

 

 

A grandiosidade das impressões digitais será complementada por uma coleção inédita de porcelanas com mãos feitas em tamanho real em sobrevidrado e expostas em uma mesa de madeira queimada de cerca de 9 metros. O conjunto dividirá atenção com uma seleção de obras da artista da década de 80 ao presente.

Nos jardins que circundam a galeria estará uma série de criações em escala monumental de Hugo França, selecionadas especialmente para a ocasião e que reforçam o ponto de convergência entre os artistas: o entendimento da arte como agente transformador da percepção.

Além de conferir a exposição, o público pode vivenciar uma experiência de arte pelos 50 mil metros quadrados que fazem parte da área da Galeria, dos quais 20 mil são de pura Mata Atlântica, visitar o Atelier Hugo França que fica no local e acompanhar parte do processo de suas criações.

 

Instalação 'Touch', de Regina Silveira, ocupa Galeria Hugo França, em Trancoso

 

 

Sobre Regina Silveira

Porto Alegre, RS, 1939. A artista participou de várias bienais, como Bienal de São Paulo (1981, 1983, 1998, 2021), Bienal Internacional de Curitiba (2013, 2015) Bienal do Mercosul (2001, 2011), Porto Alegre, Brasil; Bienal de La Habana, Cuba (1986, 1998 e 2015); Médiations Biennale, Poznan, Polónia (2012); 6ª Bienal de Taipei, Taiwan, (2006); 2ª Trienal de Setouchi, Japão (2016). Algumas de suas exposições coletivas mais recentes: “Walking through Walls”, Martin Gropius Bau, Berlin, Germany, 2019; “Die Macht der Vervielfältigung”, Leipziger Baumwollspinnerei, Leipzig, Alemanha 2019; “Radical Women: Latin American Art”, 1960-1985, Hammer Museum, Los Angeles, EUA, 2017; Brooklyn Museum, NY, EUA, 2018, Pinacoteca do Estado, SP, Brasil, 2018; “O Poder da Multiplicação”, MARGS, Porto Alegre, Brasil, 2018; “Mixed Realities”, Museu Kunst, Stuttgart, Alemanha, 2018; “Imprint”, Academy of Fine Arts, Warsaw, Poland, 2017; “Future Shock”, Site Santa Fe, Santa Fe, EUA, 2017; “Consciência Cibernética (?)”, Itaú Cultural, São Paulo, Brasil, 2017.

As últimas exposições individuais de Regina são: “Limiares”, Paço das Artes, São Paulo, Brasil 2020; “Up There”, Farol Santander, São Paulo, Brasil, 2019; “EXIT”, Museu Brasileiro da Escultura – MuBE, São Paulo, Brasil, 2018; Unrealized / NãoFeito “, Alexander Gray Associates, NY, EUA, 2019,“ Todas As Escadas ”, Instituto Figueiredo Ferraz, Ribeirão Preto, Brasil, 2018; “Regina Silveira”; “Crash”, Museu Oscar Niemeyer, Curitiba, Brasil, 2015; “El Sueño de Mirra y Otras Constelaciones”, Museo Amparo, Puebla, México, 2014; “1001 Dias e Outros Enigmas”, Fundação Iberê Camargo, Porto Alegre Brasil, 2011; “Abyssal”, Galeria Atlas Sztuki, Lodz, Polônia, 2010; “Lumen”, Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, Madrid, Espanha, 2005.

 

 

Sobre Hugo França

Hugo França nasceu em Porto Alegre, em 1954. Em busca de uma vida mais próxima da natureza, mudou-se para Trancoso, na Bahia, no início da década de 80, onde viveu por 15 anos. Lá, percebeu o grau de desperdício na extração e uso da madeira, vivência que pautou seu trabalho. Desde o final dos anos 1980, desenvolve “esculturas mobiliárias”, expressão usada primeiramente pela crítica Ethel Leon e adotada pelo designer por sua precisão em descrever a produção que ele executa a partir de resíduos florestais e urbanos – árvores condenadas naturalmente, por ação das intempéries ou pela ação do homem.

As peças criadas pelo artista nascem de um diálogo criativo com a matéria-prima: tudo começa e termina na árvore. Ela é a sua inspiração; suas formas, buracos, rachaduras, marcas de queimada e da ação do tempo provocam sua sensibilidade e o conduzem a um desenho cuidadosamente escolhido, uma intervenção mínima que gera peças únicas.

 

Instalação 'Touch', de Regina Silveira, ocupa Galeria Hugo França, em Trancoso

 

Touch, de Regina Silveira

Abertura: 11 de dezembro, das 10h às 17h.

Galeria Hugo França – Trancoso (BA)

Visitação: até 13 de março de 2022 – segunda a sábado, das 10h às 17h. Aos domingos, mediante agendamento.