Podemos ajudar?

Galeria Raquel Arnaud exibe ‘Febre’, com nova produção artística de Carla Chaim

A Galeria Raquel Arnaud apresenta ‘Febre’, terceira exposição individual da artista Carla Chaim na galeria de 8 de novembro a 18 de dezembro de 2021. Com desenhos, pinturas, esculturas, vídeos e instalação, a mostra ocupa os dois andares expositivos e reúne em torno de 30 obras produzidas nos últimos três anos.

Entrando na exposição, o espectador se depara com um ambiente imersivo, delimitado por uma grade penetrável de madeira, de aproximadamente dez por dois metros e meio. Essa estrutura, rígida e geométrica, abriga uma série de desenhos produzidos, principalmente, nos últimos dois anos, durante o período de isolamento social, e cria uma dicotomia entre a austeridade simétrica do grid do suporte, e a fluidez orgânica dos trabalhos. O percurso que a estrutura sugere faz com que o visitante se depare tanto com a parte da frente dos desenhos, quanto com o verso, que revela vestígios do processo e da interação dos materiais.

Sobre essa nova produção, Carla comenta: “Nos últimos anos que se passaram, dentro dessa situação atípica em que nos encontramos hoje, com o furor de colapsos políticos, estéticos, econômicos e de saúde pública, com nossos corpos sendo submetidos à situações drásticas, a minha rotina no ateliê, processo criativo e lógica de produção foram, inevitavelmente, intensificados, dada a característica potência da arte na criação de novas realidades. Diferentes tipos de experiências corporais de desenho e performance, envolvendo a experiência com novos materiais, diferentes tipos de suporte, fazeres ainda não explorados, e a inserção do corpo em situações que investigam as potências dos seus limiares, foram tecidas com grande entrega, resultando em uma série extensa de trabalhos. Irrompeu, também, o meu interesse pelo vermelho, cor do sangue que corre por todos os nossos organismos, tida por diversas culturas como símbolo de urgência, intensidade e confronto.”

A intenção, com a criação de um percurso/labirinto penetrável, é trazer, de maneira sensorial, o espectador para perto do modo de criar da artista, apresentando uma série de desenhos fora do anteparo da moldura, em uma montagem que o faça caminhar por dentro dessa produção intensa, com o ritmo e indicações da expografia sugerida pelos trabalhos em papel carbono, que estarão emoldurados nas paredes da galeria. As esculturas em cerâmicas e grafite pontuam os espaços da galeria e dialogam com os rastros dos gestos coléricos deixados nos papéis e nas telas. Os vídeos parecem apaziguar o fervor gestual visto na maior parte dos trabalhos e despertam outras reflexões.

A curadora e pesquisadora Pollyana Quintella, que assina o texto da mostra, diz: “Febre é uma exposição que ronda as potências reflexivas do gesto. Liberadas de qualquer funcionalidade, as ações de Carla Chaim exploram as rebeliões e levantes que cabem num só corpo. Se a artista costuma ser majoritariamente identificada pela paleta concisa centrada no preto-e-branco (escolha que exerce o papel de manter a produção vinculada às suas operações fundamentais, despida de acessórios), aqui acompanhamos um forte interesse pelo vermelho e suas variações, fruto da busca por uma nova radicalidade e um alargamento dos contornos subjetivos”.

 

Galeria Raquel Arnaud exibe 'Febre', com nova produção artística de Carla Chaim
conversa /acordo _2021

 

 

Galeria Raquel Arnaud exibe 'Febre', com nova produção artística de Carla Chaim
Vista geral de Febre na Galeria Raquel Arnaud

 

 

Biografia

Carla Chaim_ 1983_ vive e trabalha em São Paulo

Tanto em seus trabalhos em papel ou em tela, como em suas fotografias e ações gravadas em vídeo, Carla Chaim procura ir além dos limites da concepção tradicional de desenho. Mais do que um suporte para o desenvolvimento de uma ideia, ou um esboço inicial de uma obra a ser criada, o desenho de seu trabalho aparece essencialmente como um vestígio da ação de um corpo em um determinado suporte, um vestígio de sua presença, ou mesmo o remanescente de um gesto. Inicialmente, Carla trabalhava com a noção de controle em suas peças, tanto por meio de regras pré-estabelecidas quanto em seus movimentos físicos na elaboração de um desenho, por exemplo. A partir de 2019, seus gestos se tornam mais radicais e ganham uma fluidez orgânica. Em ambos os casos, o corpo funciona como uma ferramenta importante nesse processo, pensado também como um lugar conceitual de discussão e explorando seus limites físicos e sociais.

Formada em Artes Visuais pela Fundação Armando Álvares Penteado – FAAP (2004), onde também realizou a pós-graduação em História da Arte (2007). Participou de várias residências de arte, entre elas Arteles, Finlândia (2013) e The Banff Centre for the Arts, Canadá, (2010).

Seu trabalho foi exibido em inúmeras exposições, incluindo: Histórias da Dança, MASP, São Paulo, curadoria de Olivia Ardui e Julia Bryan-Wilson (2020); Ella, Galeria Fernando Pradilla, Madrid, Espanha (2020); A Pequena Morte, Galeria Raquel Arnaud, São Paulo (2018); CODE, Galeria Osnova, Moscou, Rússia (2017); Ao Amor do Público I, Museu de Arte do Rio – MAR, Rio de Janeiro, Brasil (2016); Novamente pela primeira vez, Durban Segnini Gallery, Miami, EUA (2015); Setor de cinema, Art Basel, Miami, EUA (2015); Ichariba Chode, Plaza North Gallery, Saitama, Japão (2015); Impulso, Razão, Sentido, Conflito, Cisneros Fontanals Art Foundation – CIFO, Miami, EUA (2014). Carla Chaim recebeu os seguintes prêmios: Prêmio Funarte de Arte Contemporânea (2011), CCBB Contemporâneo (2015), Prêmio FOCO Bradesco ArtRio (2015), Prêmio Energias na Arte (2015). Em 2016, Carla foi selecionada para o Future Generation Art Prize, onde em 2017 apresentou suas obras no Pinchuk Art Center, Kiev, Ucrânia e em Veneza, na Itália, em um evento colateral durante a Bienal de Veneza. Suas obras são parte de coleções como Ella Fontanals-Cisneros, Miami, EUA; Museu de Arte do Rio – MAR, RJ; Pinacoteca do Estado de São Paulo, SP; Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP), SP; MAM, Museu de Arte Moderna, RJ e Ministério das Relações Exteriores, Itamaraty, Brasília.

 

Galeria Raquel Arnaud exibe 'Febre', com nova produção artística de Carla Chaim
Mão dormindo, 2021, de Carla Chaim

 

 

Galeria Raquel Arnaud exibe 'Febre', com nova produção artística de Carla Chaim
Tapas, 2020, de Carla Chaim

 

 

Galeria Raquel Arnaud

Febre, exposição individual de Carla Chaim

Abertura: 06 de novembro, das 11h às 15h

Visitação: de 8 de novembro a 18 de dezembro de 2021

De segunda a sexta, das 11h às 19h, sábado, das 11h às 15h.

Rua Fidalga, 125 – Vila Madalena – Fone: 11. 3083-6322