Podemos ajudar?

Fotografias icônicas de Madalena Schwartz integram exposição no IMS Paulista

Conhecida por fotografar andrógenos e travestis, Madalena Schwartz está em exposição no Instituto Moreira Salles de São Paulo. Nascida na Bulgária, a artista fugiu dos nazistas e veio para a capital paulista, onde acabou passando os anos de chumbo da ditadura militar, no epicentro da cidade.

‘Madalena Schwartz: as metamorfoses’ retrata a relação da artista com o circuito underground de São Paulo, principalmente com os artistas andrógenos que se apresentavam no local, incluindo Ney Matogrosso e os Dzi Croquettes. A mostra que também comemora o centenário de Schwartz tem curadoria de Samuel Titan Jr. e Gonzalo Aguilar.

Madalena Schwartz era lavadeira e começou a fotografar apenas aos 45 anos, quando seu filho ganhou uma câmera em um concurso. Ela passou então a captar o mistério e a intimidade destes rostos em plena ditadura. A série conta com 112 fotografias de famosos e anônimos.

“É muito interessante notar que essas pessoas estão acostumadas a posar para as câmeras quando estão ‘montadas’, mas elas deixam Madalena conhecer outras camadas. Havia uma cumplicidade, sem a qual aquela fotografia não poderia existir”, conta Titan Jr.

 

Fotografias icônicas de Madalena Schwartz integram exposição no IMS Paulista
Madalena Schwartz: as metamorfoses ‘Ney Matogrosso’

 

Fotografias icônicas de Madalena Schwartz integram exposição no IMS Paulista
Madalena Schwartz: as metamorfoses

 

Fotografias icônicas de Madalena Schwartz integram exposição no IMS Paulista
Aron e Augusto, 1973

 

Fotografias icônicas de Madalena Schwartz integram exposição no IMS Paulista
Série “Las libertadoras”, Caracas, de Vasco Szinetar

 

Fotografias icônicas de Madalena Schwartz integram exposição no IMS Paulista
Madalena Schwartz

 

Os curadores da mostra também reuniram diferentes fotografias de artistas que faziam um trabalho semelhante em sociedades autoritárias pela América Latina, como Sergio Zevallos, do Peru; Paz Errázuriz, do Chile, que teve exposição recente no IMS; Mario Montez, de Porto Rico e Armando Cristeto, do México.

A exposição também destaca o Copan, local de moradia de Madalena Schwartz e palco para a maioria de suas fotografias.