Podemos ajudar?

Depois de quatro anos sem expor e sem vir ao Brasil, Daniel Mattar, aceita convite de Marcia Barrozo do Amaral para mostra individual na ArtRio

Depois de quatro anos sem expor e sem vir ao Brasil, o artista visual Daniel Mattar, consagrado também na Europa, aceita convite de Marcia Barrozo do Amaral para mostra individual na ArtRio, que acontece entre os dias 8 e 12 de setembro. Para esta edição da ArtRio, a galerista, com seu olhar apurado, selecionou 15 obras do artista – que chegam a quase 2 metros.  Marcia Barrozo do Amaral é conhecida por apresentar apenas um artista nas grandes feiras de arte como ArtRio e SP-Arte, Marcia Barrozo já levou nomes consagrados como Frans Krajcberg, Ascânio MMM, Hilal Sami Hilal, entre outros.

Daniel Mattar, por quase três décadas, foi um dos fotógrafos mais cobiçados no mundo da moda, editoriais e campanhas icônicas levavam a sua assinatura. Conhecido por usar cores de forma especial, como uma ligação entre fotografia e artes plásticas, Mattar utilizava em suas fotos uma estética apurada e cores saturadas e vibrantes que formavam quase uma pintura irreal. 

Em 2016, o artista resolveu unir essas duas vertentes em sua nova fase profissional: a fotografia e a tinta. Foi então que saiu de sua zona de conforto proporcionada por seu amplo domínio técnico da fotografia e iniciou um estudo com cores e gestos, tintas e pincéis. Logo depois, ainda não satisfeito só com o trabalho de pintura a óleo, Daniel Mattar, começou sua pesquisa da tridimensionalidade no plano, se utilizando da pintura e da fotografia. A partir daí, o artista se apropriou de pequenas superfícies, interferindo com gotas de tintas, ora em gestos livres ora precisos e imediatamente as fotografa subvertendo a escala, criando um aspecto escultural à sua obra.  

Há mais de três anos o fotógrafo Daniela Mattar resolveu ir embora para a “terrinha”, lá abriu junto com a esposa e produtora de moda Bebel Moraes a já consagrada Brisa Galeria – localizada no coração de Lisboa. 

Nessa nova fase, Daniel lança mão do trabalho com luzes e sombras para criar uma obra que salta da tela, em uma imagem que de tão incrível causa a impressão de ser 3D. No dilema entre foto e pintura, Daniel resolveu essa equação com uma linguagem baseada no registro da luz nas micro superfícies, onde pinta e imediatamente fotografa – como já revelou – depois o micro se transforma em macro em impressões de grande escala.

 

Depois de quatro anos sem expor e sem vir ao Brasil, Daniel Mattar, aceita convite de Marcia Barrozo do Amaral para mostra individual na ArtRio
Daniel Mattar com Drawings

 

 

Depois de quatro anos sem expor e sem vir ao Brasil, Daniel Mattar, aceita convite de Marcia Barrozo do Amaral para mostra individual na ArtRio
Daniel Mattar

 

 

Na exposição solo serão apresentadas duas séries:

 

Photographic Drawings  

A série “Photographic Drawings” segue o conceito japonês de uma caligrafia com gesto espontâneo (Shodo). Gotas de tinta são conduzidas em uma pequena superfície de 4 cm e imediatamente fotografadas com lente macro na busca da tridimensionalidade e no registro da luz e da sombra. A imagem é finalizada em impressões de grandes formatos alterando a escala destes volumes cromáticos. Ocupa assim uma área de diálogo entre a fotografia a pintura e a escultura.

Dentro da filosofia ZEN, a ação se passa no presente e o registro deste rápido evento, onde a tinta ainda molhada e fresca reflete a luz e passa a ocupar a terceira dimensão mesmo estando contida no plano bidimensional da superfície fotográfica.

 

Quadra 

Nesta fase do seu trabalho, Daniel procura o volume e o movimento da tinta. O artista continua explorando o micro-universo de superfícies, desta vez com a representação do mar, florestas e horizontes. Mattar procura em  suas obras de grande escala criar uma imersão visual e uma materialidade na terceira dimensão do plano fotográfico.

 

Depois de quatro anos sem expor e sem vir ao Brasil, Daniel Mattar, aceita convite de Marcia Barrozo do Amaral para mostra individual na ArtRio
Oceano, Daniel Mattar

 

 

Depois de quatro anos sem expor e sem vir ao Brasil, Daniel Mattar, aceita convite de Marcia Barrozo do Amaral para mostra individual na ArtRio
Daniel Mattar e Bel Moraes

 

 

Sobre o artista

Sua pesquisa em fotografia começou em Tóquio, Japão, onde morou e trabalhou nos anos noventa. Há vinte e cinco anos que a fotografia é a sua forma de expressão. Percorreu diversos campos como moda, retratos e documentários. A obra de Daniel está cheia de paradoxos: a câmera tecnológica ao gesto intuitivo com a tinta a óleo. Em sua pesquisa, Daniel desenvolve diálogos por meio da fotografia que mostram múltiplas três dimensões em planos bidimensionais. 

Através da utilização de tintas a óleo e/ou pigmentos minerais, o artista compõe suas imagens intervindo em pequenas áreas de embalagens, imagens de livros, cartuchos de tinta, fotos de arquivos pessoais e diversas outras superfícies relacionadas à reprodução de imagens. Uma vez finalizados, seus microespaços são imediatamente fotografados no auge do frescor das tintas e depois impressos em grandes obras, estabelecendo um vasto vocabulário dimensional de volumes e cores. Daniel realizou exposições individuais e coletivas desde 1988, incluindo países como França e  Japão,a lém do Brasil em espaços como o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM-RJ), o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) e o 

Espaço Cultural Sérgio Porto. Desde 2018 vive em Lisboa, Portugal, onde desenvolve o seu trabalho artístico e não vem ao Brasi desde então. Agora volta à sua terra natal para sua individual no stand D2, espaço da Galeria Marcia Barrozo Do Amaral na ArtRio.

 

 

Exposição Daniel Mattar 

ArtRio – Marina da Glória – Galeria Marcia Barrozo do Amaral – Stand D2

 De 8 a 12 de setembro 

(21)  98211-2727 | (21) 99966-9620 | (21) 2267-3747