Podemos ajudar?

Confira a programação da Cinemateca do MAM em fevereiro

CINEMATECA ONLINE

 

Programação online gratuita

www.vimeo.com/channels/cinematecadomam

 

A programação online de fevereiro finaliza a mostra dedicada ao cinema de Helena Ignez, Sinai Sganzerla e Djin Sganzerla, com destaque para a exibição do longa de estreia da última, e uma live em torno do filme.

O mês prossegue com uma mostra dedicada à produtora A Gota Preta, criada por Renato Ranquine em 2016, e que em 2018 transformou-se também em distribuidora, reunindo uma crescente e significativa carteira de filmes ligados ao universo das artes visuais e ao cinema experimental brasileiro, cada vez mais próximos e interconectados. O trabalho de A Gota Preta indica uma tendência de distribuição audiovisual e se destaca pela coesão e qualidade dos títulos selecionados para circulação comercial e cultural em circuitos novos e digitais, muitos deles alcançando premiações nacionais e internacionais. A Mostra A Gota Preta Filmes Apresenta vai reunir dez filmes da distribuidora que serão incorporados ao acervo da Cinemateca.

 

TER 26 jan – SEG 1 fev

Fakir de Helena Ignez. Brasil, 2019. Documentário. 92’. Classificação indicativa 14 anos

 

 

SEX 29 jan – QUI 4 fev

Extratos de Sinai Sganzerla. Brasil, 2019. Documentário. 8’. Classificação indicativa 10 anos + A mulher de luz própria de Sinai Sganzerla. Brasil, 2019. Documentário. 74’. Classificação indicativa 12 anos

 

SEX 5  – DOM 7 fev

Mulheres de luz própria: os filmes de Helena Ignez, Sinai Sganzerla e Djin Sganzerla. Mulher oceano de Djin Sganzerla. Brasil, Japão, 2020. Com Djin Sganzerla, Kentaro Suyama, Stênio Garcia, Lucélia Santos, Gustavo Falcão, Rafael Zulu, Jandir Ferrari. 99’ Classificação indicativa 14 anos

 

SEX 5  fev  (Com transmissão pelo Youtube e Facebook da Elo Company)

20h – Mulheres de luz própria: os filmes de Helena Ignez, Sinai Sganzerla e Djin Sganzerla. Conversa em torno de “Mulher oceano”. Com Djin Sganzerla, Marcus Mello, Duda Kuhnert e Isabel Veiga. Mediação José Quental.

 

SEX 12 fev – QUI 18 fev

A Gota Preta Filmes Apresenta. Adeus às coisas de Ian Schuler. Brasil, 2019. Videoarte/Experimental. 16’. Classificação Livre + Bárbara Balaclava de Thiago Martins de Melo. Brasil, 2016. Animação. 14’. Classificação 18 anos + Rasga mortalha de Thiago Martins de Melo. Brasil, 2019. Animação. 14’. Classificação 16 anos + A Noite dos lanches de Ian Schuler. Brasil/Portugal, 2020. Videoarte/Experimental. 9’. Classificação Livre

 

SEX 19 fev – QUI 25 fev

A Gota Preta Filmes Apresenta. Estudos superficiais de Gustavo Speridião. Brasil, 2016. Experimental. 36’. Classificação Livre + Time Color de Gustavo Speridião. Brasil/França, 2020. Experimental. 24’ Classificação Livre

 

SEX 26 fev – QUI 4 mar

A Gota Preta Filmes Apresenta. Tupinambá lambido de Lucas Parente. Brasil, 2018. Documentário Experimental. 12’. Classificação 14 anos + A cristalização de Brasília de Guerreiro do Divino Amor. Brasil, 2019. Experimental/Animação. 7’. Classificação 14 anos + O mundo mineral de Guerreiro do Divino Amor. Brasil, 2020. Experimental/Animação. 9’. Classificação 14 anos + Calypso de Lucas Parente e Rodrigo Lima. Brasil, 2018. Experimental. 61’. Classificação 14 anos.

MOSTRA LADO B DA FAVELA

15 – 28 FEV

Curadoria: Chico Serra

 

Uma diversidade de narrativas em torno dos territórios das favelas do Rio de Janeiro em 19 filmes, entre longas e curtas-metragens, realizados ao longo das últimas seis décadas. A mostra tem seis eixos temáticos.

 

Programa “Enquanto se luta se samba também” (Candeia) – Narrativas sobre o samba e resistência das organizações comunitárias

 

Sessão 1. Chega de demanda de Roberto Moura. Documentário. 1973. 10’. + Fala Mangueira de Frederico Confalonieri. Brasil, 1983. Documentário. 51’. Classificação indicativa 14 anos

 

Sessão 2. Pedreira de São Diogo de Leon Hirszman. Brasil, 1962. Com Sadi Cabral, Francisco de Assis, Glauce Rocha, Joel Barcellos, Cecil Thiré e Jair Bernardo. 18’. + Nossa escola de samba de Manuel Horácio Gimenez. Brasil, 1965. Documentário. 29’. + Associação dos moradores de Guararapes de Sérgio Peo. Brasil, 1978-1979. Documentário. 11’. Classificação indicativa 14 anos

 

Sessão 3. Aniceto do Império em… dia de alforria…? de Zózimo Bulbul. Brasil, 1981. Documentário. 10’ + Tia Eulália, Império do Divino de Erik Oliveira, Alexandre Contador e Rodrigo Ponichi. Brasil, 2006. Documentário. 73’. Classificação indicativa 12 anos

 

Confira a programação da Cinemateca do MAM em fevereiro
Fakir

 

Confira a programação da Cinemateca do MAM em fevereiro
Tupinambá lambido de Lucas Parente

 

Confira a programação da Cinemateca do MAM em fevereiro
Mulheres de luz própria

 

Programa “Pluralidade e sincretismo religioso nas favelas”.

 

Sessão 4. Santo forte de Eduardo Coutinho. Brasil, 1999. Documentário. 80’. Classificação indicativa 10 anos

 


Programa “A Infância na favela – Olhares em torno do universo infantil no cotidiano das comunidades cariocas”.

 

Sessão 5. Picolé, Pintinho e Pipa de Gustavo Melo. Brasil, 2006. Com Ana Miranda, Arthur Bispo, Chico Santana, Diego Francisco, Felipe Paulino da Silva, Henrique César, Newton Magalhães, Wallace Coutinho, Xande Alves. 16’ + Tempo de criança de Wagner Novais. Brasil, 2010. Com  Ketellen Coutinho, Luciana Bezerra, Manoela Rosa, Pablo Vinícius, Roberta Valente, Rodrigo Cardoso. 12’. + O Saci no morrinho de Renato Dias, Cirlan Oliveira, Fábio Gavião. Brasil, 2006. Com Fábio Gavião, Nelcirlan Souza, Renato Dias. 4’. Classificação indicativa livre

 

 

Programa “Na favela a poesia feito ar se alastrou” – As potências criativas descem o morro e tomam conta da cidade”.

 

Sessão 6. As canções de amor de uma bixa velha de André Sandino. Brasil, 2020. Documentário. 22’. +  Proibidão de Ludmila Curi e Guilherme Arruda. Brasil, 2012. Documentário. 13’. Classificação indicativa 16 anos

 

Sessão 7. Cidade de Deus – 10 anos depois de Cavi Borges e Luciano Vidigal. Brasil, 2013. Documentário. 68’. Classificação indicativa 14 anos

 

Sessão 8. A batalha do passinho – o filme de Emílio Domingos. Brasil, 2013. Documentário. 73’. Classificação indicativa 10 anos (FILME DISPONíVEL POR 24 HORAS –  APENAS NO DIA 20/02)

 

Programa “Uma guerra nada particular – Tensões e interações entre moradores, policiais e traficantes”.

 

Sessão 9. A revolta dos bonecos de Renato Dias. Brasil, 2007. Animação. 6’. + Mina de Fé de Luciana Bezerra. Brasil, 2004. Com Carla Severo, Manuel Jr. e Luciano Vidigal. 15’. Classificação indicativa 16 anos

 

Programa Vôo sobre a favela – Perspectivas

 

Sessão 10. Perspectivas do Helicóptero. Vídeo A. Da Favela de Manaíra Carneiro, Mariane Martins, Victor Hugo Rodrigues e Ricardo D’Aguiar. Brasil, 2019. Vídeo-Instalação. 5’. + Perspectivas do Helicóptero. Vídeo B. Do Helicóptero de Manaíra Carneiro, Mariane Martins, Victor Hugo Rodrigues e Ricardo D’Aguiar. Brasil, 2019. Vídeo-Instalação. 3’. Classificação indicativa livre

assista em
www.vimeo.com/showcase/ladobdafavela

 

Debates

Assista ao vivo pelo Facebook e Youtube do MAM Rio

SÁB 20 fev
19h – Conversa com Gustavo Melo, Wagner Novais, Roberto Moura e Rodrigo Ponichi. Mediação Chico Serra

SÁB 27 fev
19h – Conversa com André Sandino, Manaira Carneiro e representante da TV Morrinho. Mediação Chico Serra

 

 

VEREDAS DO PATRIMÔNIO AUDIOVISUAL

Projeto com patrocínio da Concremat e H.I.G. Capital e apoio da Guelt Investimentos

 

O ciclo Veredas do Patrimônio Audiovisual visa valorizar o patrimônio audiovisual brasileiro e mundial conservado pela Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e outras instituições de guarda brasileiras e estrangeiras. O ciclo promove o contato direto com as formas históricas de exibição audiovisual, oferecendo quando possível rigorosas condições de fruição do cinema tal como elas se apresentaram em determinado momento histórico e tecnológico. Isso inclui a possibilidade de assistir as obras do passado também em novos arranjos técnicos e associações criativas.

 

26 – 28 FEV

19h – Veredas do patrimônio audiovisual. Homenagem a Máximo Barro. Macumba na alta de Maria Basaglia. Brasil, 1958. Com Jayme Costa, Maria Dilnah, Fábio Cardoso, Irina Grecco e Marina Freire. 81’. + [Noel Rosa e o Bando dos Tangarás] de Paulo Benedetti. Brasil, 1929. Registro musical vitaphone da música “Hoje o galo sou eu”. 3’. Exibição em mov (h264). Classificação indicativa Livre

saiba mais
www.mam.rio/cinemateca/veredas-do-patrimonio-audiovisual/