Podemos ajudar?

Clube de Colecionadores do MAM Rio lança nova edição na ArtRio 2020

No dia 14 de outubro de 2020, o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio) lançará a 7ª edição do Clube de Colecionadores em seu estande na ArtRio. O novo conjunto (R$ 12 mil) apresenta quatro foto-performances de Ana Beatriz Almeida, Ayrson Heráclito, Paula Scamparini e Rafael Bqueer, impressas em papel algodão. As quatro imagens capturam momentos em que os corpos dos artistas transformam a paisagem em espaço de performance.

Pela primeira vez, o museu lançará simultaneamente duas edições especiais, com tiragem de 30 exemplares cada: uma fotolitografia de Luiz Zerbini (R$ 12 mil), na qual o artista experimenta com a impressão direta de folhas, frutas, cascas e espinhos; e um ready-made de Marcos Chaves (R$ 7 mil), que explora o tema da polarização no Brasil atual.

Criado em 2004 pelo MAM Rio, o Clube de Colecionadores é uma oportunidade de aquisição de obras exclusivas de artistas visuais brasileiros, com tiragem limitada. A renda arrecadada a partir da venda dos conjuntos é integralmente revertida para os projetos de arte, cultura e educação do museu. “Há 16 anos, o Clube fomenta o colecionismo, difunde a arte contemporânea e incentiva a produção artística“, afirma Fabio Szwarcwald, diretor-geral do museu carioca.

Ana Beatriz Almeida explora como tema o sacrifício ritual e o corpo feminino negro no Brasil; Ayrson Heráclito faz um “exorcismo” na Casa da Torre dos Garcia d’Ávila, na Bahia, relacionada ao tráfico atlântico de escravos e à colonização. Paula Scamparini coloca sua imagem multiplicada na condição de carregadoras de bananas. Rafael Bqueer reinterpreta o abre-alas da escola de samba Beija-Flor de Nilópolis, de 1991, que teve o enredo crítico “Alice no Brasil das maravilhas”, de Joãosinho Trinta.

Por ocasião da ArtRio, o MAM organizou duas edições especiais, com uma fotolitografia do paulista Luiz Zerbini e um ready-made de Marcos Chaves, que explora o tema da polarização no Brasil atual.

 

Sobre a obra Semente Vermelha, 2019, de Luiz Zerbini (R$ 12 mil)

Em 2016, Zerbini foi convidado a realizar um trabalho nas instalações do Instituto Inhotim. Em resposta ao convite, o artista levou uma prensa do Rio de Janeiro a Minas Gerais e passou uma semana produzindo impressões a partir de folhas, flores e sementes, que selecionava e recolhia dos jardins de Inhotim. Desde então, as séries de monotipias que Zerbini vem produzindo se tornaram peças relevantes dentro de sua produção.

Tecnicamente, os elementos e cores escolhidos para uma impressão são pressionados pelo cilindro metálico contra o papel de algodão. No entanto, as escolhas dos elementos e cores de uma monotipia se tornam marcas para as impressões seguintes. Por isso, o processo de produção de uma monotipia é tão revelador e surpreendente.

A gravura produzida para o Clube de Colecionadores do MAM Rio é o resultado de uma monotipia produzida por Luiz Zerbini em 2019, transformada em fotolitogravura e reproduzida artesanalmente pelo Estúdio Baren.

 

Clube de Colecionadores do MAM Rio lança nova edição na ArtRio 2020
Luiz Zerbini – Semente Vermelha – MAM Rio

 

Sobre a obra Brasis, 2020, de Marcos Chaves (R$ 7 mil)

 

Duplas de objetos já haviam aparecido no trabalho de Marcos Chaves, na série Hommage aux Mariages (1989). Ele já havia também conectado vassouras (sem o cabo) em Irene ri (1994), que tem como título o palíndromo de Caetano Veloso, da música composta por saudade da irmã caçula durante sua prisão na ditadura militar.

Desta vez, pouco antes da pandemia da Covid-19, Chaves voltou a pesquisá-las. Na fábrica Vassouras Irajá, na zona norte do Rio de Janeiro, se deparou com a beleza das piaçavas e cerdas coloridas, e descobriu caixas com as vassouras da marca Brasil. Trouxe algumas para o ateliê, estudou a resistência do encaixe sem fixação e desenvolveu três maneiras de pendurar o objeto: horizontal na parede, vertical na parede ou pendurado pelo teto.

“Esse encaixe do trabalho é o que seria o encaixe das polaridades no Brasil do momento. Ele é colorido; a gente é cheio de vida; os Brasis são cheios de vida. Essas cores são a estrutura da peça. Dois pólos que existem porque se sustentam”, diz o artista.

Clube de Colecionadores do MAM Rio lança nova edição na ArtRio 2020
Marcos Chaves – Brasis – MAM Rio – Foto: Fabio Souza

 

Outras obras:

Clube de Colecionadores do MAM Rio lança nova edição na ArtRio 2020
Ana Beatriz Almeida – Onira – Foto: Luara Dal Chiavon – MAM Rio

 

Clube de Colecionadores do MAM Rio lança nova edição na ArtRio 2020
Rafael Bqueer – Alice e o cha através do espelho – MAM Rio – Foto: Lorena Pazzanese

 

Clube de Colecionadores do MAM Rio lança nova edição na ArtRio 2020
Paula Scamparini – Carregadoras – MAM Rio – Foto: Divulgação

 

Serviço:

 

CLUBE DE COLECIONADORES MAM RIO #7

  • Lançamento: 14 de outubro (quarta-feira), na ArtRio 2020
  • Artistas convidados: Ana Beatriz Almeida, Ayrson Heráclito, Paula Scamparini e Rafael Bqueer
  • Artistas convidados da edição especial: Luiz Zerbini e Marcos Chaves.

 

  • Valores de adesão:

– Clube de Colecionadores #7: R$ 12 mil

– Edição especial Luiz Zerbini: R$ 12 mil

– Edição especial Marcos Chaves: R$ 7 mil

 

>> Só é possível comprar o conjunto completo: as obras não são vendidas separadamente.

 

EDIÇÃO 7 

Tiragem: 100 + 6 PAs

Ana Beatriz Almeida, Ayrson Heráclito, Paula Scamparini e Rafael Bqueer

EDIÇÃO ESPECIAL

Tiragem: 30 + 4 PAs

Luiz Zerbini e Marcos Chaves

 

 

Clube de Colecionadores

 

ARTRIO 2020

  • Data: 15 a 18 de outubro (quinta-feira a domingo)
  • Preview – 14 de outubro (quarta-feira)
  • Venda de ingressos: www.artrio.com
  • Ingressos: R$ 100 / R$ 50
  • Horários:

14 a 17 de outubro – das 13h às 21h

18 de outubro – das 12h às 20H

  • Local: Marina da Glória – Av. Infante Dom Henrique, S/N – Glória

 

MAM RIO

End: Av. Infante Dom Henrique, 85

Aterro do Flamengo – Rio de Janeiro

Tel: (21) 3883-5600

https://www.mam.rio/ – Instagram: @mam.rio