Podemos ajudar?

Art Basel e UBS divulgam relatório global do mercado de arte com crescimento de vendas on-line porém recessão igual a 2009

O relatório anual da Art Basel sobre o mercado de arte foi divulgado nesta terça (16) e informa que no ano passado foram movimentados US$ 50,1 bilhões em vendas de arte e antiguidades. O valor representa uma queda de 22% em comparação com o ano anterior. O dados trazem uma análise global do mercado em 2020 e detalham a turbulência econômica sofrida principalmente pelas galerias, leilões e feiras de arte.

A Pandemia de Covid-19 foi a grande responsável por esse impacto negativo, causando a maior recessão no mercado artístico desde a crise de 2009. O relatório também afirma que houve um crescimento significativo nas vendas online, atingindo o recorde de US$ 12,4 bilhões movimentados.

Esse número representa 25% de todo o montante do mercado, sendo que em 2019 o comércio digital refletia apenas 9% desse total. No entanto, essa guinada virtual não foi capaz de evitar a estrondosa baixa.

“A queda nas vendas era inevitável. Mas a crise também proporcionou o ímpeto para mudança e reestruturação [do setor], sobretudo a mais fundamental, o lançamento de estratégias digitais e vendas online, que ficaram para trás em outras indústrias”, conta Clare McAndrew, fundadora da empresa de consultoria Arts Economics.

 

Art Basel e UBS divulgam relatório global do mercado de arte com crescimento de vendas on-line porém recessão igual a 2009

 

Art Basel e UBS divulgam relatório global do mercado de arte com crescimento de vendas on-line porém recessão igual a 2009

A maior parte das feiras de arte do mundo precisaram ser canceladas no ano passado, entretanto os grandes colecionadores estão com o intuito de voltar com tudo ao mercado neste ano de 2021.

“As descobertas do relatório são críticas, não apenas em termos de um dos anos mais incomuns e desafiadores que o mercado de arte global já enfrentou, mas também em relação ao que eles apontam para o futuro da nossa indústria”, afirma Noah Horowitz, um dos diretores da Art Basel.

O relatório também revelou que embora tenham tido uma queda no comércio, Estados Unidos, China e Reino Unido ainda protagonizam os números representando 82% de todo o mercado.

Outro dado importante foi o crescimento de 13% na participação das mulheres no comércio artístico, agora elas ultrapassaram os homens e se tornaram maioria no setor.

Além disso, o mercado de arte empregava 2,9 milhões de pessoas em 2019, e houve uma queda de 4% neste número. No geral, as empresas acabaram desviando investimentos para o setor de TI (Tecnologia de Informação), por causa do mercado digital.

 

Art Basel e UBS divulgam relatório global do mercado de arte com crescimento de vendas on-line porém recessão igual a 2009
Esther Schipper, Art Basel 2019

 

Art Basel e UBS divulgam relatório global do mercado de arte com crescimento de vendas on-line porém recessão igual a 2009
Art Basel – Miami Beach

 

Confira o relatório completo aqui.