Podemos ajudar?

André Severo ocupa galeria Bolsa de Arte com a exposição ‘Labirinto’, parte da Bienal de São Paulo

A Galeria Bolsa de Arte apresenta, entre 31 de agosto e 23 de outubro de 2021, a exposição “LABIRINTO”, do artista, pesquisador e curador André Severo. A mostra faz parte da programação paralela da 34ª Bienal de São Paulo, instituição da qual, Severo foi curador adjunto da 30ª edição, ao lado de Luiz Perez Oramas.

Elaborado através de uma série de fotografias e de vídeos produzidos e coletados pelo artista ao longo dos últimos 15 anos, a instalação “LABIRINTO” questiona processos e suportes através de experimentações e registros vivenciados diretamente na paisagem. A obra é a terceira parte de uma trilogia iniciada em 2015, onde a imagem, o tempo e a memória buscam dar testemunho da improbabilidade da experiência criativa, investigando as possibilidades associativas e dissociativas de imagens dentro do ambiente expositivo.

Em “LABIRINTO”, fotografia, filme, texto, espaço de articulação, tempo e memória trabalham em conjunto para que a proposta de apropriação, desconstrução e reelaboração de imagens provenientes de fontes diversas (registros, arquivos pessoais,  imagens de internet, etc.) evidencie o processo de criação e possa alcançar um tipo híbrido de expressão poética.

Num desdobramento das dimensões locais e específicas da galeria para a dimensão inexprimível da subjetividade, LABIRINTO aposta no imperativo da relação entre imagem e memória. Para o artista “LABIRINTO” é um depoimento sobre o fato de que nas entranhas do sensível, onde muitas vezes a luz quase não chega e os ruídos do mundo exterior não ressoam como algo mais do que um murmúrio – um tremor inconstante e quase inaudível –, frequentemente nossas convicções resvalam e invariavelmente nossas incertezas despontam.

Desde os anos 2000, André Severo realizou mais de uma dezena de filmes e instalações audiovisuais e participou de inúmeras exposições no Brasil e no exterior. Em 2010 foi responsável, em conjunto com Maria Helena Bernardes, pela curadoria da mostra Horizonte expandido. Em 2012, ao lado de Luis Pérez-Oramas, foi curador da XXX Bienal de São Paulo – A iminência das poéticas e publicou o livro Deriva de sentidos. Em 2013, também com Luis Pérez-Oramas, foi responsável pela curadoria da representação brasileira na 55ª Bienal de Veneza. Em 2018, com Marília Panitz, é curador da exposição 100 anos de Athos Bulcão. Entre suas premiações mais recentes destacam-se o V Prêmio Açorianos de Artes Plásticas, em 2010; o Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça – 6ª Edição, em 2013; o Prêmio Funarte de Arte Contemporânea 2014, em 2014 e o XV Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia 2015, em 2015.

André Severo ocupa galeria Bolsa de Arte com a exposição 'Labirinto', parte da Bienal de São Paulo

 

André Severo ocupa galeria Bolsa de Arte com a exposição 'Labirinto', parte da Bienal de São Paulo

 

André Severo ocupa galeria Bolsa de Arte com a exposição 'Labirinto', parte da Bienal de São Paulo

 

André Severo ocupa galeria Bolsa de Arte com a exposição 'Labirinto', parte da Bienal de São Paulo

 

 

Serviço:

EXPOSIÇÃO  “LABIRINTO” | ANDRÉ SEVERO

Visitação de 31 de agosto a 23/10/21

BOLSA DE ARTE

Vila Madalena: r. Mourato Coelho, 790