Podemos ajudar?

A relevância de Basquiat na arte contemporânea

Jean-Michel Basquiat se tornou referência na arte contemporânea de tal modo que até mesmo quem não participa do meio já ouviu falar dele. A cada dia que passa, o ícone dos anos 80 se torna mais famoso e mais valorizado. Mas como Basquiat atingiu esse nível?

O norte-americano nasceu no fim de 1960, no Brooklyn. Filho de um haitiano que era ex-ministro em seu país e de uma porto-riquenha, Basquiat era o primogênito entre três filhos.

A relevância de Basquiat na arte contemporânea
A relevância de Basquiat na arte contemporânea
Pássaro no Dinheiro (1981)

O artista foi uma criança de talento bastante precoce, já aos seis anos tinha como programa cultural preferido a visitação ao MOMA (Museu de Arte Moderna), tendo inclusive a identificação de sócio mirim.

Muito dessa paixão pela arte se desenvolveu por causa de sua mãe, que sempre o estimulava nas mais diversas manifestações artísticas. Foi ela quem lhe deu um livro chamado ‘Gray’s Anatomy’, moldando o interesse de Basquiat pela anatomia humana, traço que pode ser notado em suas obras.

Em 1977, com 17 anos, Basquiat se juntou ao amigo Al Diaz e começou a grafitar edificações desabitadas na região de Manhattan, sempre deixando o selo SAMO (same old shit).

Basquiat se tornou conhecido após participar da mostra coletiva ‘The Times Square Show”, em 1980. No entanto foi no ano seguinte que sua explosão mundial aconteceu, tudo graças ao renomado René Ricard, que escreveu uma crítica positiva sobre o trabalho do artista.

Em 1982, Basquiat já era figura presente nos principais circuitos artísticos, sempre andando com nomes famosos na curadoria como Julian Schnabel e David Salle, se tornando um grande ícone do neoexpressionismo.

Foi nessa época que ele se envolveu com a até então anônima Madonna, além de ter contato com o já consagrado Andy Wahrol.

A relevância de Basquiat na arte contemporânea
Basquiat e Andy Warhol

Infelizmente, Basquiat acabou se tornando dependente em heroína, causando preocupação nos amigos. Mesmo assim ele foi capa do New York Times em 1985, o que acabou o consagrando ainda mais e rendendo exposições internacionais nas principais capitais do mundo.

Ele acabou falecendo de overdose em 1988, deixando para trás mais de 2.000 obras, dentre desenhos e quadros, além de um legado espetacular.

Sua obra “Untitled” (1982) o consagrou como artista norte-americano mais caro do mundo em 2017, após ser vendida por U$ 110 milhões. A crueza, instrução e publicidade intensa de seu trabalho contribuiu muito para a fama que hoje ele tem.

Principais obras:

A relevância de Basquiat na arte contemporânea
“Untitled”, quadro de 1982 de Jean-Michel Basquiat, comprado pelo bilionário japonês Yusaku Maezawa por US$110.5 milhões
A relevância de Basquiat na arte contemporânea
Deus, Lei (1981)
A relevância de Basquiat na arte contemporânea

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.